Twitter Facebook Orkut Rss

Tradutor

Especial(atrasado): "The Legend of Zelda"

domingo, 22 de abril de 2012

26º aniversário de Legend of Zelda
The Legend of Zelda: 26th anniversary's

Olá todos os meus leitores lindos! Desculpem o atraso, que foi imenso, mas finalmente tive tempo de escrever sobre o 26º aniversário da série de jogos(e um desenho): The Legend of Zelda! Vamos começar?

A muito tempo atrás... O mesmo criador de Donkey Kong e outros jogos famosos, Shigeru Miyamoto, lançou em 21 de fevereiro de 1986 no Japão o primeiro jogo da série Zelda. O nome era The Legend of Zelda e foi lançado para Nintendo Entertainment System (NES) na América e Famicom (NES japonês) no Japão. O jogo era simples, mas vou deixar que o site Zelda.com.br explique.
"Muitos acham que a série Zelda só começou no Nintendo 64 e até chamam o jogo Ocarina Of Time de Zelda 1. Isso é um engano, pois o Ocarina of Time é o quinto jogo de toda a série. The Legend of Zelda de NES é conhecido como z1 ou LoZ (abreviação), sendo o "verdadeiro" Zelda 1 e foi um dos jogos que marcaram época na era 8bits. Apesar de gráficos simples em relação a outros jogos da época (a Nintendo nunca foi boa em fazer jogos bonitos graficamente), LoZ atraia a sua atenção por vários motivos.


Lançado primeiramente para o Famicom Disc System (um upgrade do NES) no Japão com o nome Zelda no Densetsu em 21 de fevereiro de 1986 e posteriormente lançado no mercado americano na forma de um cartucho para Nes, Zelda foi o primeiro jogo da história a possuir uma bateria interna para saves. Por conta disso, foi um jogo revolucionário na época, já que permitia a continuação de um jogo anterior a qualquer hora em um vasto mundo (para a época) cheio de mistérios, cavernas e itens. Além de que, na época, a maioria dos jogos eram de ação ou de tiro e Zelda foi o primeiro jogo de RPG a sair do Japão.


O jogo foi lançado em um cartucho dourado, algo totalmente novo na época, já que todos os cartuchos eram cinzas. Dessa forma, aqueles que iam à loja comprá-lo viam de longe a caixa com um pedaço de fora para que o cartucho brilhasse e chamasse a atenção. Depois, em 1990, foi relançado em um cartucho cinza. Hoje em dia, é muito mais fácil encontrar fitas douradas do que cinzas, pois as pessoas não davam muito valor às fitas cinzas, perdendo-as enquanto que as fitas douradas eram guardadas no baú a sete chaves.


Além da fita, Zelda vinha com um pequeno "guia de ajuda", uma novidade na época. Ele era um mini-poster que incluía um mapa parcial do mundo principal, algumas dicas, descrição de monstros e o mapa dos seis primeiros dungeons (levels) que as pessoas usavam como posters e pregavam na parede para se localizar quando se perdiam. Sem contar que, na época, a Nintendo proibiu que as revistas publicassem dicas e detonados por um determinado tempo, tornando o jogo único e extremamente difícil.


Por tudo isso e mais o seu sistema de jogo inovador, que prendia a sua atenção até descobrir todos os segredos do jogo, Zelda tornou-se o primeiro jogo da Nintendo a vender mais de um milhão de cópias nos Estados Unidos. É uma pena que hoje em dia as pessoas olhem o jogo como uma velharia e não como um clássico que marcou uma época e uma geração. Isso, infelizmente, não só acontece com Zelda mas, com todos os clássicos de uma geração passada... não só do console Nintendo, mas como o da Sega, Atari, etc.


Felizmente, a Nintendo em 2004 relançou esse jogo para Game Boy Advance. Essa versão não só permitia aos mais novos conhecerem esse jogo, como também corrigiu vários erros de tradução no jogo e no manual, tornando-se a versão definitiva e oficial para aqueles que querem conhecer toda a série. Ainda, foi lançado também para o Game Cube no Zelda Collectors Edition."


Depois, veio The Adventure of Link!
"Zelda II para NES (Nintendo Entertainment System) foi lançado menos de 1 ano depois do Zelda 1 no Japão. Apesar de ser um fantástico jogo e bastante popular na época (vendeu 2 milhões a menos que o Zelda 1), AoL não foi bem aceito pela crítica e fãs mais fevorosos, devido a suas mudanças em relação ao Zelda 1. Por causa disso, quase todas as inovações e elementos (tirando alguns inimigos novos ou já usados) nunca mais apareceram em qualquer outro Zelda.


A história desse Zelda é bem complexa e o mapa do mesmo mostra áreas nunca vista em qualquer outro Zelda até hoje. O mapa desse é muito maior em comparação ao Zelda I mas, as batalhas ocorriam em side-scrolling (como Mário). As Dungeons (aqui chamados de "Palácios") e Vilas também eram side-scrolling. Os palácios eram bem desenhados e não podíamos esquecer de mencionar o sistema de evolução. Semelhante a FF e genéricos, Link tinha que matar mosntros para poder evoluir. Também temos a adição de magias e pulo.


Hoje em dia, alguns o acham o pior dos Zeldas mas, mesmo assim, ainda é um excelente jogo e serve para variar o cardápio."


Então, veio A Link to the Past!
"Logo após o Zelda II, a Nintendo já estava trabalhando num Zelda III para NES que acabou tendo seu desenvolvimento interrompido. Isso visto que o SNES estava saindo do forno e o jogo estava se tornando grande demais para as capacidades do antigo console. Ainda hoje, segundo pessoas que trabalham na Nintendo japonesa, há uma cópia desse protótipo para NES e que lugares como o pântano já existiam.


Zelda: Kamigami no Triforce incorporou algumas inovações do Zelda II mas trazendo de volta elementos que tornaram clássico o Zelda I. A perspectiva área volta com força total e uma jogabilidade ação-aventura que traziam a magia da série em si. Tendo sido lançado em 1991 no Japão (1 ano depois do lançamento do console), rapidamente se tornou um hit e um dos jogo mais populares daquela época. Nos EUA (e Brasil), o lançamento só ocorreu em abril de 1992 sem um cartucho dourado.


Estando no SNES, a série foi elevada a um patamar acima com ambientes dos dungeons feitos totalmente diferentes um dos outros e um mundo enorme a ser explorado. A atmosfera do jogo era enorme e há forte influência de Tolkien sobre ele. Influência que perdura até os dias de hoje com uma tentativa de criar um mundo totalmente diferente com seus mitos e línguas. Sem contar a música épica por Koji Kondo que aparecia no momento certo no ambiente certo dando realmente a impressão de um outro mundo.

Efeitos como a chuva no deserto e a névoa de Lost Woods eram impressionantes e inovadores na época. Um elemento que permaneceu do Zelda III foi a presença de NPC's originais e diferentes um dos outros (coisa que não acontecia com o Zelda II). Os NPC's exerciam papéis importantes como acesso a certos eventos ou dicas sobre itens. Certamente uma coisa que estava faltando na parte RPG do jogo. Ainda tinha o Dark World, que dava era um dimensão totalmente oposta a Hyrule e que adicionava bastante raciocínio pois, com o espelho, você podia viajar de uma dimensão a outra e assim acessar lugares que pareciam impossíveis. 
Ainda hoje, esse Zelda aparece no Top5 de jogos do Super Nintendo ou Top100 de todos os consoles. Sua popularidade no SNES pode ser comprovada pela marca de 5 milhões de cópias vendidas no mundo e que disputa com o Ocarina Of Time pela posição de melhor Zelda. Uma versão remake saiu recentemente e foi apelidada de Zelda 10 : The Four Swords. Então se você não pode jogar mais a versão de SNES, compre o 10 de GBA pois vale muito a pena. Isso sem contar o modo multiplayer exclusivo da versão GBA..."

Então veio Link's Awakening!

"A Nintendo já tinha planos de, em 1989, lançar um Zelda para Game Boy como algo grandioso. Naquela época porém, as vendas do Game Boy foram caindo e logo o projeto foi arquivado devido as baixas expectativas de venda do portátil.

Após o lançamento do Zelda 3 de SNES, que trazia de volta o glamour da série, a Nintendo revive a idéia de trazer um Zelda para o portátil impulsionado, não só pela ótima recepção do Zelda de SNES, mas também pela febre Pokemón que trouxe o portátil de volta a vida. O Zelda arquivado foi trazido de volta mas com um novo rumo, tendo sido praticamente que todo refeito.


Assim nasceu Zelda 4, Link's Awakening (O Despertar de Link). Fugindo dos padrões de "salvar a princesa do maligno Ganon", este Zelda mostra o que acontece após o desfecho do Zelda 3 com ele navegando em busca de conhecimento e sabedoria. Apesar desse jogo ter como título The Legend Of Zelda, Zelda não aparece nenhuma vez em todo o jogo e, além disso, é um história paralela, assim como o Majora's Mask do N64 e a série Oracle de GBC.
Usando praticamente o mesmo sistema de A Link To The Past, esse Zelda foi um jogo que cativou vários jogadores e foi responsável por dar uma "incrementada" na série, tornando a defesa mais ativa por exemplo. A parte sonora também não fica atrás sendo muito boa graças a Konji Kondo mais uma vez.
O lançamento do remake trouxe de volta esse Zelda totalmente colorido e, com a inclusão de uma nova dugeon, dando um outro motivo para re-jogá-lo. Sem contar a opção de tirar fotos de certos eventos que, com uma impressora do GameBoy, permitia imprimir as fotos (que não são nada fáceis de se achar). Sem dúvida, uma bela prova que clássicos não precisam ser feitos com "hardwares" potentes."

Então, veio o jogo do século: Ocarina of Time!

"O que dizer sobre este Zelda? É difícil dizer algo quando muito já foi dito por outros ao longo dos anos. Após jogar todos os Zelda's para me preparar pra este jogo na minha primeira vez (1998), a sensação que fica é o quão magnífico este jogo é pois expande a série em todos os sentidos trazendo assim um mundo totalmente novo. E pensar que o brilho deste jogo esteve ameaçado por rumores dias antes do lançamento que falavam de um jogo curto de no máximo 12 horas e extremamente desapontante. Rumor que se iniciou quando Miyamoto (criador da série) disse que os programadores zeravam o jogo em menos de 7 horas. Na verdade o que temos é um jogo que exige no mínimo 70 horas de jogo para marinheiros de primeira viagem...
Com seu lançamento mundial anunciado, Ocarina of Time tornava-se o jogo mais esperado daquele ano. Já tínhamos sido atiçados em 1996 com as primeiras imagens do jogo rodando na mesma engine que Mario usa (no fim, a engine acabou sendo a mesma de Mario mas com várias modificações). Esse Zelda sofreu grandes pressões ao longo do seu desenvolvimento por estar atrasado no cronograma (podemos sentir isso com o Zora's Domain não sendo descongelado no final) e por ser um novo Zelda que esperávamos desde o fim do SNES. Esse atraso pode ser compreendido devido a sucessivas mudanças no jogo (tanto na jogabilidade como no visual) visando a maior qualidade possível no final. Para se ter uma idéia de quantas mudanças foram feitas, basta apenas olhar as fotos betas do jogo. Este jogo levou cerca de 7 anos de desenvolvimento sendo 2 deles quando o jogo era um projeto ainda para o SNES (nunca oficialmente anunciado).
Apesar desses problemas, Ocarina Of Time foi lançado com grande furor no mundo e escolhido o Jogo do Ano em 1998 (ofuscando Metal Gear Solid, outro excelente jogo) e, ainda por cima, foi aclamado por muitas revistas e sites especializados de "O Jogo Do Século". Analistas esperavam que este seria o jogo que faria com que o Nintendo 64 acordasse (o que de fato não aconteceu mas, parece que vai acontecer com o GameCube). The Legend Of Zelda: Ocarina Of Time (conhecido também por Zelda 64 ou zelda 5) foi o jogo mais comentado da geração 32/64 bits.
Ainda hoje, este Zelda continua a ser um dos jogos mais comentados e que atraiu e ainda atrai uma legião de fãs. Tal força pode ser vista pelo lançamento do URA Zelda no GameCube que fez com que o número de reservas batesse o de GTA3: Vice City. O que é muito bom! Além do que, foi este jogo que revitalizou a série Zelda trazendo vários novos jogadores que não conheciam (e ainda não conhecem) os antigos Zelda's."

Então, a Nintendo desafiou os jogadores. Literalmente.

"Master Quest é, como o nome em inglês já diz, uma aventura para mestres. Na verdade, é a segunda quest que não coube e/ou não deu tempo de pôr no cartucho quando o Ocarina foi lançado em 1998.
Com o disco você tem dois jogos pelo preço de um, já que ele é um disco bônus do Wind Waker e não pode (ou não poderia) ser vendido separadamente. É um porte perfeito do Nintendo 64 com uma pequena tela de Loading no começo e na tela de pause. Aqueles que se consideram mestres do Ocarina deveriam tentar essa aventura que fará com que você relembre a história (necessária para entender o Wind Waker) e quebrar a cabeça com todos os Templo totalmente refeitos e mais difíceis (imagine o Templo da Água todo refeito e mais difícil. Nem dá, né?)
Abaixo você tem o detonado do Master Quest bem como a Rom do jogo para Nintendo 64... Mas, Master Quest não é do GameCube? Sim, mas eles conseguiram extrair o jogo do DVD e fazê-lo rodar no emulador de Nintendo 64 (já que o DVD do Gamecube rodava com um emulador embutido do Nintendo64). "

Se quiser ver o detonado, clique aqui. O site está em português, mas se quiser outra língua, use o Google Tradutor.

Os fãs da série queriam uma continuação, então, Majora's Mask surgiu!

"Após o gigantesco sucesso em todos os sentidos e a explosão de vendas do Ocarina of Time por todo o mundo, foi anunciado The Legend of Zelda: Mask of Mujula, que mais tarde teve seu nome trocado por Majora's Mask.

Esta sequência da Lenda não foi dirigida por Miyamoto e, sim, por Eiji Aonuma. Talvez por isso a enorme expectativa de um game ao nível do Ocarina não foi totalmente suprida, mas, mesmo não sendo um game tão bom quanto a obra prima do N64, não deixa de ser um dos melhores! Por quê? Bom... Ainda temos toda a base e estrutura do Ocarina of Time, gráficos, movimentos e itens todos aperfeiçoados com o trabalho árduo da equipe Nintendo e, claro, com o cartucho de expansão!
A história de Majora's Mask é algo como um "side quest" da lenda, ou seja, foge um pouco da sequência seguida pelos outros games da série. Como sabemos disso? Há poucas ligações com os outros games, por exemplo: não há Ganondorf nem Zelda e nem Triforce, portanto não há um enredo completo e manjado, mas há um enredo novo!
Desta vez, Link está a procura de sua amiga Navi quando tem a sua Ocarina roubada e, para recuperá-la, chega acidentalmente em um universo paralelo chamado Termina, mais precisamente na pacata cidade de Clock Town onde descobre que a Lua está prestes a cair e destruir o Mundo. Link conhece uma nova fada companheira chamada Tatl e um novo vilão chamado Skull Kid. Este, usou a Majora's Mask e acabou sendo possuído passando de um bom companheiro para uma pessoa má, e agora quer fazer brincadeirinhas nada agradáveis. Link tem como objetivos principais: salvar o mundo da destruição em 72 horas (você pode voltar no tempo) e selar a Majora's Mask para sempre.
A má notícia deste jogo é que ele não seguiu a inovação do Ocarina of Time, Link não fica adulto, mas, assim como todos os jogos da série Zelda, este possui uma inovação muito divertida: Máscaras! De todos os tipos, formas e poderes diferentes. Ao todo são 29 máscaras, sendo que 5 delas não podem ser usadas (são de chefes), outras 5 são usáveis e transformam nosso herói em outra criatura, e as outras 19 são simples mas cada uma com sua exclusividade e utilidade. A melhor sensação deste jogo é sentir na pele como é ser um Deku, um Goron ou um Zora, com todos os seus movimentos!!
Mesmo não sendo tão bom quanto esperado, Majora's Mask deve ser jogado e curtido por cada fã de Zelda, porque eu joguei até o fim muitas vezes e não me arrependo, é verdade: VALE A PENA!"

Então vieram outros jogos... Mas... Acho que poderá ficar para outro momento, afinal, Zelda tem 26 anos e vários, diversos e engraçados jogos!
Em troca de atraso para os outros jogos, lhe dou cinco imagens para você salvar e por no seu site, blog, e-mail, MSN ou simplesmente usar como Wallpaper. Lá vai:
Link e Zelda com a Master Sword atrás. Recolorido e clareado pelo O Falatório.
The Legend of Zelda: Ocarina of Time. Recolorido e clareado pelo O Falatório.
The Legend of Zelda: Ocarina of Time 3D. Recolorido e clareado por O Falatório.
The Legend of Zelda: 26th Anniversary. Reeditado de 25th Anniversary, recolorido e clareado por O Falatório.

Ah, você quer usar as imagens no tamanho normal? Então clique nos links:
Primeira imagem
Segunda imagem
Terceira imagem
Quarta imagem


No aniversário de 27 anos eu publico os outros jogos. Espero que gostem. Agora, aproveitem o bônus:

Notas de Flauta, Clarinete e Violino

Fonte: Cifra Melódica(site).

Zelda's Lubally(Ocarina of Time)[Canção da Zelda]
Mi-í-í. Sol, Ré. Mi-í-í. Sol, Ré.
Mi-í-í, Sol, Ré-é, , Sol, Fá, Mi, Ré.
Mi-í-í. Sol, Ré. Mi-í-í. Sol, Ré.
Mi-í-í, Sol, Ré-é, Sol, Ré, Dó, Ré. (e repete)
Song of Storms(Ocarina of Time & Majora's Mask)[Canção da Tempestade]
Ré, Fá, Ré.
Ré, Fá, Ré.
Mi, , Mi, , Mi, , Lá.
Lá, Ré, Fá, Sol, Lá.
Lá, Ré, Fá, Sol, Mi.
--Segunda Vez:--
Ré, Fá, Ré.
Ré, Fá, Ré.
MiMiMi, Lá.
Lá, Ré, Fá, Sol, Lá.
Lá, Ré. (e repete)
Bolero of Fire(Ocarina of Time)[Bolero do Fogo]
Fá, Ré, Fá, Ré, Lá, Fá, Lá, Fá.
Sol, Mi, Sol, Mi, Si, Sol, Si, Sol.
--Segunda Vez:(toque mais rápido)--
Fá, Ré, Fá, Ré, Lá, Fá, Lá, Fá.
Sol, Mi, Sol, Mi, Si, Lá, Sol, Fá, Ré-é-é.
Saria's Song(Ocarina of Time)[Canção da Saria]
Fá, Lá, Si. Fá, Lá, Si. Fá, Lá, Si, Mi, .
Si, , Si, Sol, Mi. Ré, Mi, Sol, Mi.
Fá, Lá, Si. Fá, Lá, Si. Fá, Lá, Si, Mi.
Si, , Mi, Sol, Si. [Pequena pausa] Si, Sol, Ré, Mi.
Ré, Mi, Fá. Sol, Lá, Si. , Si, Mi.
Ré, Mi, Fá. Sol, Lá, Si. , , Mi.
Ré, Mi, Fá. Sol, Lá, Si. , Si, Mi.
Fá, Mi, Lá, Sol, Si, Lá, , Si; MI, RÉ, MI-I-I. (e repete)
Canção de Cura (Majora's Mask)
Si, Lá, Fá. Si, La, Fá. Si, La, Mi, Ré, Mi.
Epona's Song(Ocarina of Time)[Canção de Epona)
, Lá, Sol.
, Lá, Sol.
, Lá, Sol, Lá, Sol.
Mi, La, Si, Dó-Dó, Si, Lá, Sol. (e repete)
Canção do Sol(Ocarina of Time)
Lá, Fá, Ré!
Lá, Fá, Ré!
(se souber das demais notas, me avise)
Sonata do Despertar(Majora's Mask)
, si, , si. Ré, Lá-á-á, Ré.(e repete o quanto quiser)
Réquiem do Espírito(Ocarina of Time)
Ré, Fá, Ré, Lá, Fá, Ré.(e repete)
Minueto do Bosque(Ocarina of Time)
Ré, , Si-i-i-i. Lá, Si, Lá.(e repete)
Prelúdio da Luz(Ocarina of Time)
, Lá. , Lá, Si, .(e repete o quanto quiser)
Serenata da Água(Ocarina of Time)
Ré, Fá, Lá, Lá, Si.
Ré, Fá, Lá, Lá, Si.
Lá, Ré. Fá, Sol, Fá, Mi, Ré.


Espero ter ajudado algum fã fanático que desejava muito essas músicas.


Créditos:

"Biografia" dos jogos de Zelda: Hyrule Legends, ou simplesmente Zelda.com.br
Ajuda nas imagens: Altherest (Clique aqui para ir ao perfil dele no Fórum e clique aqui para mandar um e-mail para ele)
Todas as imagens e conteúdo dessa postagem podem ter direitos autorais e reservados, principalmente a respeito de Shigeru Miyamoto e a série de jogos The Legend of Zelda. Não copie sem autorização ou sem por os direitos reservados (Copyright)



Oi! Você tá precisando de um lugar para saber as novidades de Zelda? Vá em Zelda.com.br ou clique aqui!
Ah, você tá precisando mesmo é de um lugar para debater sobre Zelda, animê, livros, entretenimento, brincadeiras, jogos e muito mais? Então vá no Zelda.com.br/Fórum ou clique aqui!

0 comentários:

Postar um comentário