Twitter Facebook Orkut Rss

Tradutor

Manchete: "É possível ser honesto hoje?" - Empresas e Adultos - Parte 1

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

É possível ser honesto hoje?
Fonte: Revista Despertai! de Janeiro de 2012


Muitas pessoas pensam do mesmo modo. Por exemplo... "Ei, olhe aquele político na televisão. Aposto que pagou para filmarem ele. 67% dos espectadores devem ser cúmplices para chamar mais audiência. Essa pessoa deve ganhar muito dinheiro por pouco trabalho". Outras pessoas podem pensar diferente. Por exemplo... "Ei, olhe aquele senhor na televisão. Ele é tão honesto! Esse político tem meu voto."
A revista Despertai! de Janeiro de 2012 irá responder suas perguntas. Ele é honesto? Ele é desonesto? Ele está mentindo? Ele está falando a verdade? Ele construiu mesmo o hospital? Ou ele somente contratou os pedreiros? Ele comprou os livros? Ela escreveu no blog?

Isso e muitas perguntas serão respondidas hoje. Então, se você gosta de ler sobre homens bem-vestidos e políticos mentirosos ou verdadeiros, este é seu post.
Postagem recomendada para maiores de 14 anos.
É possível ser honesto hoje?
Desonestidade em toda a parte.
Danny* trabalha para uma grande empresa em Hong Kong. Quando foi avaliar a fábrica de um fornecedor, ele ficou na dúvida se ela atenderia aos padrões de produção exigidos por sua empresa. Mais tarde, no jantar, o gerente da fábrica deu a Danny um envelope com dezenas de milhares de dólares. Essa oferta de suborno era o equivalente a um ano de seu salário.
_______________________
*Alguns nomes nesta série foram modificados.
--------------------------------------------------------------
  • O que aconteceu com Danny não é um fato isolado, pois a desonestidade é muito comum no mundo hoje em dia. Por exemplo, de acordo com documentos oficiais, uma grande empresa alemã pagou 1,4 bilhão de dólares em subornos para conseguir contratos entre 2011 e 2007.
Embora recentes escândalos empresariais de grande repercussão tenham causado algumas mudanças, o quadro geral parece estar piorando. Um estudo de 2010 feito pela organização Transparência Internacional constatou que, no mundo todo, "os índices de corrupção aumentaram nos últimos três anos".
Por que há tanta desonestidade? É possível ser honesto hoje? Se for, como conseguir isso? Será que a Bíblia pode mesmo ajudar?(Desculpem todos os não-cristãos ou não-evangélicos ou não- alguma religião relacionada á Bíblia)

VOCÊ concorda com essa opinião pessimista? É verdade que a desonestidade muitas vezes resulta em vantagens - pelo menos por um tempo. Por isso, os que tentam ser honestos são alvos de grande pressão. Veja alguns fatores que podem levar a isso.
Tentação. Quem não gostaria de ter mais dinheiro e um pouco de luxo? Não é por nada que rejeitar uma oportunidade de lucro desonesto pode ser difícil.(Reject a dishonest gain can be difficult.)

  • "Meu trabalho é fechar contratos para a minha empresa. Ofertas de suborno são comuns. A tentação de ganhar dinheiro fácil é grande." - Franz, Oriente Médio.
Pressão para aumentar os lucros. Em anos recentes, os negócios no mundo todo têm enfrentado péssimas condições econômicas. Isso sem mencionar os rápidos avanços tecnológicos e o aumento da concorrência regional e global. Os empregados talvez achem que recorrer à  desonestidade é o único modo de atingir as metas dos patrões e gerentes.
  • "Nós pensávamos que tínhamos de fazer isso . . . . De outra forma, a empresa iria á falência." - Reinhard Siekaczek, preso por corrupção. - The New York Times.
Pressão de outros. Colegas de trabalho e clientes ás vezes podem sugerir, ou até exigir, que você participe de esquemas desonestos.
  • "Um gerente de um importante cliente disse que não faria mais negócios comigo se eu não lhe desse sua 'parte'. Em outras palavras, um suborno." - Johan, África do Sul.
Cultura. Em algumas culturas, é comum a troca de presentes em transações comerciais. Dependendo do valor do presente e das circunstâncias, pode ser difícil perceber se a transação é honesta ou não. Em muitos países, autoridades corruptas exigem um pagamento antes de realizar suas obrigações e aceitam prontamente dinheiro em troca de um tratamento especial.
  • "É sempre difícil distinguir uma gorjeta de um suborno." - William, Colômbia.
Ambiente. A pressão pode ser ainda maior em países extremamente pobres ou onde há desordem civil. Em ambientes assim, os que se recusam a trapacear ou roubar talvez passem a impressão de serem negligentes em sustentar suas famílias.
  • "A desonestidade é considerada normal, necessária e aceitável, desde que você não seja pego." - Tomasi, Congo Kinshasa.
A honestidade em baixa
A pressão para ser um desonesto exerce um poder muito grande. Uma pesquisa na Austrália constatou que 9 entre 10 gerentes consideravam o suborno e a corrupção "errados, mas inevitáveis". Os entrevistados disseram que estariam dispostos a ignorar seus princípios para conseguir um contrato ou beneficiar sua empresa. "Muitos dizem que é preciso ser desonesto para ser bem-sucedido".
É interessante notar, porém, que as pessoas que fazem algo desonesto muitas vezes se consideram honestas. Como elas conseguem pensar assim se o seu comportamento mostra o contrário? O Journal of Marketing Research diz: "As pessoas se comportam desonestamente o suficiente para tirar vantagem, mas honestamente o suficiente para se convencer de sua própria integridade." Para amenizar seu conflito interno, elas minimizam ou justificam a desonestidade de muitas maneiras. Por exemplo, as pessoas ás vezes se referem à desonestidade com termos menos depreciativos. Dizem que mentir e trapacear é "Dar um jeito" ou "Dançar conforme a música". Um suborno pode ser chamado de "Pequena gratificação" ou "Incentivo".
Outras pessoas justificam um comportamento questionável adotando um conceito mais permissivo sobre o que é desonestidade. Tom, que trabalha no mercado financeiro, comenta: "Para as pessoas, a honestidade depende mais do que você consegue fazer sem ser pego do que com uma honestidade em si." David, um ex-executivo, diz: "A desonestidade só é criticada quando descoberta; do contrário, é vista como aceitável. As pessoas que conseguem se safar são consideradas espertas por sua 'criatividade'."
"Para as pessoas, a honestidade depende mais do que você consegue fazer sem ser pego do que com a honestidade em si"
 Muitos chegam a dizer que é preciso ser desonesto para ser um bem-sucedido. Um executivo experiente ressalta: "O espírito competitivo das pessoas muitas vezes as leva a dizer que vale tudo para fechar um negócio". Mas será que isso é verdade, ou os que tentam justificar seu comportamento desonesto estão na realidade 'se enganando com falsos raciocínios'?(Tiago 1:22) O próximo artigo(Na parte 2) mostrará as vantagens de ser honesto.
---------------------------------------------------------------
Você, adulto(a) executivo(a), ou você, adolescente criativo, que adora notícias popularmente chamadas de "notícias de nerds" e "notícias chatas". Vocês que adoram posts sobre Empresas e Adultos, terão seu dia de brilho aqui, nesse especial de duas(ou talvez três) partes. Para mostrar a você, leitor, que o blog O Falatório é para todas as idades.
Até a próxima, o próximo post será no dia 1 de março ou no dia 2 de março.
Beijos,
Lana .


Essa matéria foi retirada da revista Dispertai!® Todos os direitos reservados. Se algum outro domínio da web(site ou blog) utilizar esta matéria em seu nome, temos o direito de pedir que retire o post ou referência, principalmente se colocarem em seu nome ou colocarem com ofensas á Dispertai! ou O Falatório.

O Falatório

0 comentários:

Postar um comentário